Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Sex | 18.01.19

VIAGEM A... BERLIM - Dia 2

Depois do primeiro dia que podem ver aqui, estava na hora de passear pela cidade!

 

8E22E849-2CBF-4413-854D-19E6CA5E8C88.JPG

 

Apesar da chuva não estava tanto frio como imaginei. Talvez mesmo por causa da chuva não estivesse tanto frio. Mas calma que não estava calor. Eu estava super bem vestida por isso não sentia muito frio, exceptuando nas mãos que estavam geladas. Ainda por cima o tira e põe telemóvel no bolso, tira e põe luva, fazia com que ficassem ainda com mais frias.

 

5D1E131F-5F45-4A3E-9A3A-36179AF3F4CD.JPG

 

Depois de uma pequena volta pela cidade decidi que era hora de ir tomar um brunch.

Já tinha escolhido o local, por isso era só entrar no metro de ir para a zona. Mas eis que me engano no metro e tenho de andar novamente para trás. Estava eu sossegado prestes a sair na estação correta, e eis que aparecem os picas. Eu não tinha bilhete. Obviamente sabia disso maaas achava que sendo estrangeira e turista me iriam facilitar a vida. Mas não. Regime alemão em força!

 

270608DA-5BCA-4D45-ABAA-27F1A0BC550F.JPG

 

Lá fiz o choradinho mas não resultou. Dei o meu cartão de cidadão, apontaram a minha morada e código postal e depois lá me fui embora para o Daluma, onde já deveria estar há uns bons 40 minutos caso não me tivesse enganado no metro e, consequentemente, perdido tempo na história da multa.

Trata-se de um café bem querido, com o chão em madeira antigo, tetos que não foram deitadas abaixo nem modificados, com uns rococós do século passado, uma árvore gigante ao lado do balcão que chegava literalmente ao teto, e uma parede enfeitada de penas. Tudo um pouco aleatóri-o-moderno. Bancos em madeira velhinhos, mesas em granito novas, balcões em madeira, possibilidade de comer nas duas escadas gigantes próprias para o efeito, ambas a servir de banco, almofadas infinitas por todo o espaço e uma música indie pop ou algo do género a tocar.

 

2AFE5DFC-A86B-4030-91A4-009497786669.JPG

 

Comi uma tosta de abacate bem grande, um cheesecake de mirtilo e bebi um chocolate quente com cacau cru e bebida de soja, porque há essa possibilidade na maioria dos cafés e bares. Sendo este vegetariano, onde quase tudo era na verdade vegan, não havia problema. De qualquer modo perguntaram que bebida preferia: amêndoa, coco, soja,.... optei pela soja que contém mais proteína e é mais neutra, acaba por dar para saborear melhor o chocolate quente. Depois de mil fotografias e vídeos quando provei já não era um chocolate quente mas sim frio. No problem, prefiro assim até.

 

794DB4CB-4180-4985-B441-921AF76E2F76.JPG

 

A tosta era espetacular mas o cheesecake ficou no top dos melhores cheesecakes da minha vida. A par com o que comi em Copenhaga duas vezes nos três dias que lá estive. Era uma maravilha!! Apetecia-me pedir uma caixa com 10 para levar, mas não ia ter tempo para comer tudo por isso regressei à realidade e fui-me embora.

O preço de um brunch do género é de 16€, sendo que existem saladas, pudins de chia, açaí bowls, sumos e batidos e muito mais!

 

3E8D32AC-7F5A-4623-A30C-ADC6B5241908.JPG

 

Entretanto não parava de chover, mas fui passear pela cidade, senão nunca mais conhecia tudo.

 

57F0C8AC-2ECC-4D8B-8C9F-A01A363DA6D9.JPG

 

Passei pela Alexandreplatz, uma das maiores praças da Europa e o centro da cidade de Berlim (uma espécie de Aliados no Porto ou Chiado em Lisboa) onde se localiza um centro comercial bem grande com diversas lojas, e também a central de metros, trams e comboios, onde é possível apanhar a ligação para o aeroporto.

 

0CEA4314-AC25-435C-92BA-2F4FF082B3A2.JPG

 

AF3938A4-1418-4BB9-8E00-768920B5D6F2.JPG

 

Mais à frente estava a Torre da Tv, beemm alta, que servia de indicação sempre que me perdia. Olhava para o alto e lá estava ela. Este é o ponto mais alto da cidade, com uma visão 360º de Berlim. É possível subir até à torre mas não o fiz infelizmente.

 

2AB1E087-0A8F-4CE0-8168-766F6F27E8DB.JPG

 

E9FF99E3-89E7-4C1D-983A-99142C318C62.JPG

 

Passei também por uma bonita Sinagoga, o Centro Judáico que era um belo edifício. Pena que já estava escuro e a fotografia não ficou nada de especial.

 

258AA300-03C0-43CE-B00B-7179DCC7A498.JPG

 

AEE198F6-77EC-4C26-AD5F-A3C4E93ECB08.JPG

 

Fui até ao Memorial do Muro de Berlim. Para quem não sabe, o muro serviu para dividir Alemanha em duas partes. Nesta zona existem diversas placas e painéis que explicam os detalhes do que ocorreu, assim como vídeos e áudios. Além disso, em diversos locais da cidade podemos ver uma linha no chão feita que mostra por onde o Muro passava.

 

85F8BA5A-E4EE-4FAA-AE9A-5F7B7877C870.JPG

 

A entrada no Memorial do Muro de Berlim é grátis e vale a pena visitar. Este abre às 10h e fecha às 18h, sendo que ainda é possível subir à torre desse memorial. e ter uma noção aérea do muro e do espaço envolvente. Para chegar a esta zona é possível apanhar diversos trams, nomeadamente o S1, S2 e S25, e o metro U8.

 

3CFB9E77-669D-4F3E-8A17-DF30F512EFAD.JPG

 

41DA9F00-66AC-4D47-BCE7-9AB832A0321F.JPG

 

2C63E344-807E-4839-B939-FA22B12CA28E.JPG

 

07C8B1E9-2147-4EDF-86B1-EFD4F0039486.JPG

 

6D7E08FB-2AF4-4C77-8DB7-C0F81E5F4589.JPG

 

8310C878-AAD3-4D86-A135-E330A6DC6DC7.JPG

 

04DF65D2-4E37-4EF0-8283-A38EF2E55F86.JPG

 

754DF0AE-3C69-4C2B-A9E5-3D6EB9F7FF3F.JPG

 

9F810747-8428-4735-9FC4-90F10DA06C23.JPG

 

64792265-2BA6-4830-AB83-2568D99E818D.JPG

 

Mas é possível ver outras partes do Muro de Berlim noutras zonas da cidade que visitei durante a visita, nomeadamente em Postdamer Platz, na Topografia do Terror e em East Side Gallery. Estes dois últimos irão ser mencionados no dia 2 da viagem, por isso não percam que há imensas fotografias também! 

 

979F7FB2-8F3F-4FF4-8E00-16926479C73A.JPG

 

782D14A1-066F-40C0-98C1-19A52CE790D2.JPG

 

DE54915F-1825-44D5-A2D7-302D8F82D40B.JPG

 

À Postdamer Platz fui no primeiro dia. no Google o que aparece é Pedaços do Muro de Berlim. E é exatamente isso que lá podemos ver. Esta é uma zonas com os prédios mais altos que vi na cidade.

 

68E08D10-4BC9-448A-B39C-3CEF74D51924.JPG

 

O metro não é difícil de se andar, o difícil é memorizar o local para onde vamos ou de onde viemos. Pelo menos para mim. A não ser que seja um nome muito simples tipo "Wedding" como podemos ver na fotografia abaixo, acaba por ser difícil decorar. O que eu fazia era andar sempre a ver no Google Maps que dá a opção de transportes públicos, nomeadamente autocarro, metro, comboio, respetivos horários, partidas e chegadas e tudo mais. Se não fosse isso estava tramada. Ia ser bem mais complicado. Até porque muitas vezes distraio-me e já não sei se andei 3 ou 4 paragens, o que se complica quando se tratava de 8 e 9. 

 

3946B42F-9384-44F0-B971-9A7305943D4C.JPG

 

Fiz a viagem totalmente sozinha como talvez tenham reparado. Foi a minha terceira viagem sozinha sendo que já estive em Londres e em Paris também sozinha há mais de 6 anos, entre escalas, apenas uma tarde cada.

 

Desta vez foram apenas dois dias, de Segunda às 19:45 até Quarta às 21h. Cada vez gosto mais de viajar sozinha por alguns motivos que posso partilhar. Gosto de ser eu a planear tudo, desde onde quero ou não ir, quanto tempo quero estar em cada local, onde e quando quero fazer as minhas refeições, quando quero ou não ir para o hotel, quem decide se está ou não cansada sou eu sem palpites ou intervenções externas, entre muitas outras coisas.

 

Não me sinto sozinha, mas também foram só dois dias, não tenho uma experiência tão grande assim. Não fico triste, não me sinto arrependida por não ir em grupo. Nada disso. Não que não goste de viajar com outras pessoas, gosto, e é uma coisa ótima de se partilhar. É ótimo ter alguem com quem comentar o que vemos, o que pensamos, o que sentimos em determinado momento. É bom partilhar as comidas boas, ter alguém com quem conversar antes de dormir ou ao acordar,... No entanto viajar sozinho também é muito bom. 

 

Há quem diga que é uma forma de auto conhecimento. Há quem goste de o fazer para saber quais os seus limites. Há quem queira apenas espairecer e relaxar um pouco. Eu faço-o sobretudo porque posso definir os meus horários e portanto é mais fácil para mim marcar uma viagem para quase quando quiser, ao contrário da maioria das pessoas.

Poderia ficar uma semana a conhecer uma cidade mas opto por fazer viagens mais curtas mas também mais intensas. Depois das viagens chego sempre super cansada, e durante um ou dois dias ando quase em modo voo de tanto que me esforcei fisicamente e psicologicamente para ver o máximo e absorver o máximo para vos passar também. Apesar de ir em passeio vou também em trabalho.

 

Como podem perceber desde o ano passado, quando comecei a viajar mais vezes, até porque um dos meus objetivos para 2018 era fazer uma viagem por mês, que fiz, mesmo que algumas delas tenham sido dentro do país, consegui fazer o que pretendia, desde aí que decidi partilhar tudo, portanto nunca estive totalmente de férias ou em passeio. Estive sempre com o telemóvel e a máquina fotográfica na mão, sempre a apontar tudo no bloco de notas, de modo a não me esquecer de nada, ou pelo menos tentar que não me esquecesse.

Ultimamente coloco também mais informações que percebi que vos interessavam, tal como preços, temperatura, moradas, localizações, coisas assim. Se tiverem sugestões de mais informações que gostavam de ver acrescentadas digam-me por favor que se achar pertinente acrescentarei certamente.

 

Portanto podem perceber que é uma coisa bastante trabalhosa, tanto durante como depois. Além de tudo o que faço durante a viagem ainda tiro sempre pelo menos quatro horas por dia, para responder a mensagens, comentários, procurar mais conteúdo da cidade onde me encontro, fazer stories, publicar fotografias diárias do local onde estou,... Sendo que o blog nunca pára. Os artigos enquanto estou em viagem continuam a ser publicados para que nunca fiquem sem nada para ver da minha parte.

 

Espero fazer muitooo mais viagens sozinhas, mas quero também fazer outras tantas acompanhadas, porque de facto é maravilhoso partilhar este tipo de experiência tão enriquecedora, a todos os níveis. 

Depois desde pequeno-grande aparte, voltemos à viagem.

 

BE96ED8E-24B9-4510-B0E9-43942AEB62C1.JPG

 

A cidade tem várias pontes, não fazia ideia! Há diversas zonas com barcos por lá, e ver os prédios por cima da água dá um ar bem giro à cidade.

 

C5D097F4-4DBC-492D-88C9-CFAF31A19503.JPG

 

Fui a um supermercado apenas mas apercebi-me de imediato que há imensa comida mais saudável que cá, que há uma enorme gama de produtos veganos e imensas marcas também. Um supermercado normal e pequeno parece uma conjugação de um Celeiro ou daqueles Bio que há em qualquer cidade com um dos outros mais comuns.

 

478CB1D9-650A-40BA-92E0-DE98EA788FEC.JPG

 

Para almoçar/lanchar/jantar fui ao Lia's Kitchen, um local mega pequeno com apenas 3 mesas e um pequeno balcão que dava para mais duas, 100% vegan. Tinha hambúrgueres e saladas várias, tudo de origem vegetal.

Optei pelo hambúrguer de seitan com batatas fritas. Não havia smoothies nem shakes para minha tristeza por isso tive de me contentar com um sumo do frigorífico. Para uma refeição deste género deverão gastar cerca de 9€.

 

A3855469-7D3F-4A4C-B5F7-8E0DC5A223BB.JPG

 

Depois voltei ao hotel. Já era noite há muito tempo, eu estava toda encharcada da chuva e sem vontade de andar mais naquele estado. Estive das 19h às 2h a trabalha e depois tentei dormir sem sucesso...

 

AF99A445-9F29-4C36-AA2B-AFF1BC1FD55C.JPG

 

Balanço do primeiro dia 21.000 passos, 15 km. 

 

D881905D-451D-45BE-8908-7FBE889291D0.JPG

 

E amanhã há mais!

 

Mas já podes ver a segunda e última parte da viagem em vídeo abaixo

 

4 comentários

Comentar post