Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA, BEBÉS E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA, BEBÉS E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Sab | 05.02.22

O que fiz de importante na Gravidez que aconselho (desde a Pré-Concepção à Gravidez)

Durante a gravidez muitas coisas foram recomendadas por seguidoras, livros, médicos e etc. Falaram-me de coisas que tinha de fazer e falaram-me delas como importantíssimas, impossíveis de contornar, essenciais, tão relevantes que se não fizesse estava tra-ma-da!

Ora bem, para futuras mães que, tal como eu, andaram a navegar na maionese durante muitos meses, sem terem a certeza do que deviam e não deviam fazer, neste artigo tento compilar tudo o que de importante fiz e que recomendo às grávidas de primeira viagem. Serão também informações que levarei para próximas gravidezes e que para mim farão todo o sentido. Se houver algo a acrescentar de fundamental poderás deixar na caixa de comentários que estarei a ver.

 

IMG_9485.JPG

 

Começando pelo início. Antes de engravidares deverás marcar uma consulta com a ginecologista para ver se está tudo ok contigo e se necessitas de algum tipo de suplementação ou mesmo de fazer análises ao sangue e urina. Foi algo que fiz em 2020 e acho que fiz muito bem. Foi-me logo dito para suplementar ácido fólico e tive de fazer análises várias. 

 

Depois disso deverás marcar nova consulta, quando já tiveres os resultados, para mostrar as análises e saber como está tudo contigo. Se estiver tudo bem, perfeito!

 

E27F44EE-1CED-490F-95FB-59BB1AB34A8B.JPG

 

Estando tudo bem podes tentar fazer o bebé à vontade. Não te esqueças que pode acontecer logo no mês seguinte mas também pode demorar seis meses ou um ano. É normal. Após um ano a tentar sem sucesso deverás consultar um médico para ter a certeza se há algum problema contigo e com o teu parceiro (porque também pode haver, nunca se sabe).

Quando engravidares há algumas coisas que convém que saibas e que gostava que me tivessem dito na altura (por isso é que estou a escrever este artigo).

Além do que disse anteriormente gostava de ter sabido que é preciso fazer análises trimestrais (pelo menos), assim como ir ao médico dezenas de vezes. No meu caso (e creio que seja mais ou menos geral), tive de ir dizer que estava grávida e sempre que necessitava de pedir as análises. Tive de ir para pedir a credencial para a fisioterapia e voltar a ir para pedir a segunda (mais as vezes em que fiz viagens para ir buscar, porque demoram sempre até 3 dias a sair). Tentei pedir uma terceira e desloquei-me ao centro de saúde quatro ou cinco vezes por causa disso, falei com o meu médico, fui a uma consulta aberta com outra médica, fui lá tentar falar novamente com o médico de família e as vezes em que fui e o médico não estava lá, mas sem sucesso absolutamente nenhum. Tive de ir para marcar a ecografia morfológica do primeiro trimestre. Tive de ir buscar os pedidos feitos... Bem, são coisas que não acabam!

Mais as vezes em que fui levar vacinas: a da gripe e a da tosse convulsa (ambas no 3º trimestre), e a do covid, que levei apenas depois das 21 semanas, mais precisamente às 22 semanas, mas isso já não foi no centro de saúde e também não é algo que se aplique a ti do futuro que possivelmente já estás vacinada. Nos últimos 8 meses fui mais vezes ao centro de saúde do que nos últimos 8 anos. E ainda bem que assim foi, é bom sinal, mas não esperava ter de "fazer tantas coisas" por lá, nem fazia ideia que tanta coisa seria necessária... 

 

AF56B631-A584-4669-820C-229AC65AA3BA 2.JPG

 

Por falar em análises, como disse, é necessário fazer várias. Então, antes de engravidar fiz e depois da primeira consulta com a obstetra mandou-me fazer novamente, porque havia coisas em falta (nomeadamente a imunidade ou não à toxoplasmose e tipo sanguíneo que não sabia até há uns meses).

No segundo trimestre é necessário efetuar outra vez análises ao sangue e urina, tal como no trimestre anterior, mas também se faz o "diabólico" teste da glicose, em que temos de beber um líquido docinho em jejum e ali permanecer duas boas horas, tirando sangue após uma e duas horas.

Já no terceiro trimestre tem de se fazer nova análise ao sangue para vermos como estamos. Resumindo é isto.

Ah, vai cedo para as análises da glicose por dois motivos: aquilo demora muito e se fores às 8:20h como eu fui da primeira vez é provável que não a consigas fazer porque o laboratório tem horários... estranhos. Caso faças no hospital não há esse problema. Outra coisa, se vomitares terás de repetir o exame por isso tenta aguentar o docinho no estômago. Optei pelo shot de limão que vinha fresquinho. Não achei difícil de beber, e foi muito mais fácil do que imaginei, mas de modo a ficares mais esclarecida podes ler tudo deste exame aqui.

 

3573D412-A002-47B8-B948-0FF72DF7EF75.JPG

 

No primeiro trimestre, quando anunciamos ao médico de família o nosso estado de graça é-nos dado um cheque dentista que dá para três consultas/tratamentos que variam consoante as necessidades da grávida e a oferta do dentista. São três consultas/tratamentos totalmente gratuitos (finalmente uma coisa boa!) e que devem ser usados durante a gravidez e até uns meses depois do bebé nascer. Usei dois até agora, o último será para usar em 2022 já com a bebé fora da barriga.

 

IMG_1719.jpg

 

No momento em que anunciamos ao médico obstetra que estamos grávidas é-nos dado um livro de grávida com todos os nossos dados e que deve andar sempre connosco. Raramente andei com o meu mas não devia. Caso aconteça alguma coisa os bombeiros, médicos ou alguém que nos assista poderá rapidamente perceber que estamos grávidas, qual o nosso tipo de sangue, em que mês de gravidez estamos, etc., por isso aconselho que andes mesmo com ele!

 

Captura de ecrã 2021-12-06, às 17.44.15.png

 

Uma coisa que usei muito durante a gravidez foram as aplicações de grávida. Gravidez +, uma das mais conhecidas, e BabyCenter, menos usada mas bem interessante também. Permitiram monotorizar mais ou menos o tamanho da bebé, ter uma noção do peso que teria em cada semana, ver aquela coisa de que tamanho em frutas, legumes ou até animais se encontra o nosso filho... Para além disso também contém muitas dicas do que podemos fazer em cada dia, semana e mês, o tamanho da barriga mensalmente, sendo que ainda dá para colocarmos as nossas fotografias de gravidez, ver ecografias,... É giro para ter uma noção das coisas, mas não é algo certo claro (no caso dos tamanhos de bebé e pesos e do tamanho das barrigas).

 

Captura de ecrã 2021-12-06, às 17.44.26.png

 

Adiante, também gostava que me tivessem dito que é possível ter derrames na gravidez. No meu caso foram na perna direita e isto, para além de esteticamente feio, é extremamente doloroso. Se estiver de pé e parada fico com dores, se caminhar muito dói, se andar sem as meias de compressão não aguento as dores, apanhando demasiado sol nas pernas parece que mas estão a queimar...

Sim, tive de comprar várias meias de compressão, inicialmente as de nível 1 depois as 2 porque as primeiras começaram a alargar um pouco e já não sentia o mesmo efeito com elas (era quase como não ter nada). Neste momento até posso dormir com as de nível 1 por não serem tão apertadas, mas não consigo fazer o mesmo com as de nível 2, uma vez que começa a doer imenso nos calcanhares, pés e certas e determinadas zonas das pernas.

Também pode não acontecer nada contigo, mas ficas a saber que se tiveres casos de varizes na família ou problemas de varizes ou derrames é possível que com a gravidez se evidenciem. Não é o fim do mundo. Há coisas bem piores, mas é muito chato. Se engravidares no Verão melhor porque durante o Outono e Inverno as meias de compressão até aquecem. Já se os últimos meses de gravidez forem nos meses de maior calor boa sorte.

Durante o Verão poucas vezes usei as meias (até porque só a meio de Agosto fui ao médico de cirurgia vascular para ver o que se passava), mas durante o mês de Setembro sofri m-u-i-t-o de dores de pernas quando fui de férias para zonas quentes e nunca usava as meias, apanhava sol nas pernas (evitava apanhar diretamente nos derrames mas era inevitável levar com algum sol) e caminhava quilómetros e quilómetros diários. Tudo ingredientes perfeitos para piorar severamente a situação.

 

816E8292-27AA-4BB9-B557-E37948141B0E.JPG

 

Espero que isto não esteja a ficar demasiado confuso mas estou a tentar explicar as coisas que acho mais importantes da melhor forma possível para que fiques com o máximo de informação.

Relativamente ao tema da fisioterapia na gravidez, da credencial e como tudo se processa, podes ler este artigo: "Fisioterapia na Gravidez - Tudo que tens de saber!". Já falei mil vezes acerca deste tema no Instagram por isso se leres este artigo irás perceber tudo.

 

1AE74F81-9A34-4E9A-940C-BADC52B17E56.JPG

 

Durante toda a gravidez tive de suplementar várias coisas, nomeadamente ácido fólico, vitamina B12, iodo e ferro (no 3º trimestre), mas também podes ler mais acerca do assunto, e de forma mais completa, aqui: "Suplementar antes e durante a gravidez? O quê? Para quê?" e também aqui "O que comer e suplementar durante a gravidez?", assim este artigo fica um pouco menos denso.

 

BDD37540-94E1-4D5C-B6E3-9BB065F72977.JPG

 

Outra coisa que acho importante durante a gravidez é beber bastante água. Não o fiz da forma que devia, bem sei, mas é extremamente importante, e provavelmente ouvirás a tua médica a dizer-te isso.

Alimentação saudável e cuidada também é muito importante. Mudei algumas coisas (poucas) na minha e falo sobre isso neste post: "Diferenças na minha Alimentação antes e depois da Gravidez". Há ainda alimentos a evitar, que podes conhecer aqui: "Alimentos proibidos e a evitar durante a gravidez".

Apesar de não ter tido desejos fui partilhando trimestralmente o que mais comi, que variou de trimestre para trimeste. Deixo-te aqui os artigos: "Top 10 alimentos que mais comi no primeiro trimestre de gravidez" e "Top 10 de alimentos mais comidos no segundo trimestre de gravidez".

 

DF0E942F-F5E7-4533-B742-D27FF75ED961.JPG

 

Relativamente a outros assuntos, como o treino, mudei algumas coisas, e podes ler tudo detalhadamente aqui "Então e o teu treino na gravidez?". Isto não se aplica a todas as mulheres. Há quem não possa treinar, há quem faça tudo exatamente igual, há quem tenha de ficar em repouso absoluto, há quem faça como eu e reduza cargas, substitua exercícios por outros e tal,... Depende e deve ser sempre visto com o médico para que tudo corra pelo melhor.

No meu caso (este artigo é sempre no meu caso, nem vale a pena dizer isto) comecei a fazer pilates umas semanas antes do último trimestre, pilates clínico no último trimestre e voltei a nadar no segundo trimestre (parei quando a pandemia se instalou, mas gosto muito e sinto que me faz bem) mas com menos intensidade, menos tempo com a cabeça debaixo de água, nada de apneias, nem várias piscinas sem parar, uma coisa muito soft só para descontrair e me mexer.

 

A1EE4ED1-3963-43E8-A5E7-749551BC1810.JPG

 

Apesar de mais soft é o que mais me cansa porque já antes era assim e também porque é o que mais me desafia.

No que se refere ao pilates notei que ao longo das semanas (foi sempre apenas uma vez por semana, tal como o pilates clínico e a natação), me custava cada vez mais fazer certos exercícios. O equilíbrio, a energia, a elasticidade não é bem a mesma antes e depois de engravidar, e muito menos no último trimestre que é quando a barriga mais cresce, mais ocupa, e menos conforto nos dá.

 

2BFF41DA-B020-436A-BEB4-3DC093CE6BA1.JPG

 

Às 29 semanas fui à minha primeira consulta de fisioterapia pélvica para avaliar a minha diástese (que existe sempre em qualquer gravidez e em todas as mulheres) e o pavimento pélvico. Para além disso a fisioterapeuta deu-me algumas dicas de coisas que posso e não posso fazer. Já tenho outra consulta agendada para o final da gravidez, de modo a analisar como foi a evolução da diástese e como se encontra o pavimento pélvico. Considero que foi beeem importante e aconselho todas as grávidas a fazerem o mesmo, preferencialmente, antes até.

 

7F39D10F-2924-427C-B002-2F4FA0D3503F (1).JPG

 

Como nem tudo foi um mar de rosas decidi escrever alguns artigos a queixar-me. Tudo o que de mal me aconteceu na gravidez pode ser lido aqui "O Pior da Gravidez - Segundo Trimestre ". Provavelmente escreverei um do terceiro trimestre, vamos ver como se desenrola no resto do tempo (neste momento ainda estou nas 32 semanas).

 

A13CA9E4-45DD-43A6-AA47-1CA53BC62CC5.jpg

 

Também falei de "Aquilo de que ninguém fala" neste artigo onde encontras muitas queixinhas. Se gostas disso aproveita para ler.

 

0AC91E68-87E9-4517-8416-AAB3B2E534F4.JPG

 

Uma coisa que comprei no final do primeiro trimestre/início do segundo de gravidez (já não me recordo) foi um doppler fetal. Aquele aparelhómetro que aparece na fotografia anterior e que parece para brincar serve para ouvir e ver os batimentos cardíacos do nosso bebé.

Atenção que podes ter dificuldade em ouvir em certos dias. Eu acertava praticamente todos os dias à primeira, mas houve alturas em que não estava a conseguir ouvir e só descansava quando conseguisse. Não é necessário colocar gel nem óleo, basta encostar à pele.

Se achares que te vai causar muita ansiedade ou stress se calhar não vale a pena. Se, pelo contrário, até te ajudar, compra porque é uma coisa em conta que pode descansar as mães.

 

Captura de ecrã 2021-12-06, às 16.29.44.png

 

Durante a gravidez fui fotografando quase diariamente a barriga. Quando vestia o equipamento de treino, como na fotografia anterior, aproveitava e tirava duas ou três fotografias para mais tarde recordar. Sem muita qualidade mas apenas para poder relembrar, comparar ou analisar posteriormente como o corpo foi mudando ao longo dos meses.

Notei que a barriga começou a crescer perto das 18 semanas, mas nada que outras pessoas reparassem. Na verdade conseguiria esconder a gravidez até perto das 23/24 semanas. Quando notei que deu um grande pulo foi a partir das 26/27 semanas. Aí já eu conseguia ver que estava mesmo grávida. Já tinha a barriga mais saliente e uma pequena bolinha que antes não existia. 

Mas o maior salto foi das 30 semanas para a frente... Não significa que seja assim para todas as grávidas, mas foi assim comigo. Mães de primeira viagem também dizem notar que a barriga fica saliente mais tarde do que em gravidezes seguintes.

 

08DCBB8F-371C-4273-AB5E-E573FCFA66F6.JPG

 

Por volta das 30 semanas começámos a lavar as roupas, fraldas reutilizáveis, toalhas, babetes e todo o enxoval da bebé. Não fizemos tudo ao mesmo tempo mas aproveitámos a meteorologia favorável para ir despachando o assunto. Depois ia chover durante vários dias e não dava tanto jeito para secar, e assim também se foi fazendo e arrumando. Também haveria uma mala de maternidade para preparar umas semanas depois e não convinha ter tudo para fazer no final de Dezembro ou em Janeiro.

 

2C9317B1-22BD-415D-B5D7-8F8DA4AB98A8.JPG

 

Optei por cores neutras, maioritariamente, porque são as que mais gosto. Tenho muito pouca coisa cor de rosa, porque não aprecio, e por isso as gavetas de roupa da bebé podem não ser as tradicionais para uma menina.

Aconselho ires fazendo as compras do que precisas ao longo da gravidez e não deixar tudo para os últimos dois meses. Em primeiro lugar para não ser tão stressante, em segundo lugar porque nunca se sabe quando o bebé vai nascer, pode ser na data prevista mas também pode não ser, depois porque também não se gasta o dinheiro toodoo de uma vez e não custa tanto. 

Tenho partilhado algumas coisas do enxoval da minha bebé tanto aqui como no Instagram (feed e storie). Também deixei tudo nos destaques do Instagram "BABY" (do 1 ao 6, por agora), por isso caso precises de ideias de peças de roupa, carrinhos, lojas, marcas,... podes ir vendo por lá.

 

Captura de ecrã 2021-12-06, às 16.34.17.png

 

77BD9F41-1425-47BC-B3F8-B7D33B47C37E.JPG

 

Optei por fraldas reutilizáveis mas tenho algumas das descartáveis para determinadas situações. Por exemplo, para a maternidade quero levar descartáveis para ser mais simples e não estar preocupada com lavagens, arrumações, cheiros, etc. Já mostrei no blog algumas das que tenho "O Enxoval da Bebé - Fraldas Reutilizáveis", mas serão publicados mais artigos entretanto onde partilho outras. Acho importante ainda saberes "Fraldas reutilizáveis: Quantas ter? Que tamanhos comprar?" de modo a orientares-te na hora das compras, caso seja este o método que adotes.

Podes sempre intercalar as reutilizáveis e as descartáveis, não é obrigatório escolher só umas. Apesar das reutilizáveis darem mais trabalho, porque é preciso lavar, secar, montar e arrumar, acabam por ser uma grande poupança no orçamento e muito melhores para o meio ambiente, podem ser usadas em filhos seguintes ou vendidas depois. São uma excelente opção!

 

F3E5AFB6-E2BB-40D9-B6FA-7683A7380C77.JPG

 

No que está relacionado com aprendizagem e formações fiz alguns workshops com a SOS Mamã, por exemplo o "Curso da SOS Mamã para Futuros Pais", o Workshop de Amamentação e o "Mini-curso de Preparação para o Nascimento: Descomplicar o trabalho de parto e parto". Achei que toda a informação foi muito bem transmitida e que me deixou mais descansada relativamente a certos e determinados assuntos. O primeiro foi o mais importante e se só puderes fazer um é o que te aconselho. É bastante completo e pode ser feito presencialmente ou online (como fiz) e em casal ou não, tu é que decides. 

Outro workshop que fiz foi acerca do Programa Baby Signs onde aprendemos (eu e o homem) como escolher e ensinar 16 gestos aos nossos bebés, e como isso pode ser a nossa forma de comunicação nos primeiros meses de vida.

Pretendo ainda fazer um outro workshop online brevemente também com a SOS Mamã acerca de “Desengasgamento em bebés e a segurança na oferta alimentar”. Acredito que será igualmente útil.

 

274A113C-15A7-49F4-8DBB-BE8EFF9709CE.JPG

 

IMG_7837 (1).jpg

 

Durante a gravidez fui usando e abusando dos cremes, como nunca antes. Até partilhei aqui os "Cremes Usados (e sugeridos) por vocês para usar na Gravidez para as Estrias!" e os "Cremes e Óleos usados na Gravidez". Aconselho bastante que faças o mesmo de modo a hidratar sempre a pele, evitar estrias e sentires-te melhor e mais bonita. Cuidar de nós e do nosso corpo é essencial nesta fase da vida em que tantas mudanças acontecem. 

 

ADD89D9D-AECF-4224-90DF-2001A98D94F7 (2).JPG

 

Para quem gosta de ler aconselho os livros da Enfermeira Carmen Ferreira, os dois, "Estamos Grávidos! E Agora?: Da gravidez aos primeiros meses de vida" e o recém lançado "Nascemos! E Agora?: Do nascimento aos 12 meses um guia completo".

Dos que me falaram bem mas que não li, existe o "O Livro do seu Bebé: Os primeiros 1000 dias da gravidez" de Hugo Rodrigues e "O Lado Emocional da Maternidade: Um guia de preparação para os desafios mentais da gravidez e pós-parto" de Margarida Albuquerque e Gisela Guedes.

Há muitos documentários acerca do parto e gravidez, mas até ao momento não vi nenhum. Se quiseres dá uma olhadela na Netflix onde encontras vários.

 

 

Captura de ecrã 2021-12-06, às 17.30.48.png

 

Já me esquecia, mas no terceiro trimestre tive de pedir ao médico de família que me passasse as consultas de termo para o hospital onde quero que a bebé nasça. O teu médico dir-te-à que tens de o fazer ou passar-te-à sem teres de pedir, se queres que te diga não sei como funciona, mas comigo foi assim.

 

DE04CF6A-34B5-4FA6-A976-6A2D06CE16D0 (2).jpg

 

De momento ainda não tenho o plano de parto completamente feito, no entanto já coloquei alguns tópicos que quero ver seguidos e mais para a frente irei tratar do assunto, assim como da mala da maternidade que para já ainda não se encontra feita, apesar de ter algumas coisas seleccionadas para a bebé, as minhas camisas de dormir e outras peças lavadas e prontas para colocar na mala.

 

CE53D65C-2296-46B1-A23D-F8B7C06A4A10.jpeg


Uma coisa que não fiz/pedi, mas que as grávidas residentes em Portugal com um rendimento familiar até aos 1.100€ têm direito a partir das 13 semanas de gestação, é o abono pré-natal. Trata-se de um subsídio mensal pago às grávidas que reunam as condições acima, e ainda tenham um "património mobiliário familiar, ou seja, contas bancárias, ações e obrigações, que não exceda os 104.582,40€". Se reunires estas 4 condições podes e deves fazer o pedido do abono no site da segurança social.

 

2FB9316C-7644-4435-99E6-3C19C9707CEC.JPG

 

E que me lembre é isto. Acho que o artigo já está muito grande, mas desta forma tens tudo que de mais importante fiz e tudo que podes fazer nesta nova fase da vida. Caso queiras acrescentar algo, tal como disse no início, poderás deixar na caixa de comentários abaixo.