Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Qua | 10.01.18

Jejum Intermitente e o Treino

O terceiro post acerca do Jejum Intermitente está online. Isto porque há sempre muitas dúvidas e questões. Apesar de ir respondendo de forma mais ou menos completa a toda a gente, é sempre mais simples escrever um artigo que fique aqui, para sempre que quiserem verem, em vez de o fazer por mensagem ou e-mail, onde apenas uma minoria tem acesso às respostas. Hoje falo do treino em jejum, algo que faço 5/6 vezes por semana, aproximadamente desde Maio do ano passado.

 

Image result for jejum intermitente

Imagem: Google

 

 

Não estou a dizer que toda a gente que esteja em jejum intermitente o deva fazer, no entanto, considero que para quem consegue, porque há quem não consiga, porque se sente fraco, não treina tão bem, não tem a mesma força e energia, ou até desmaia, poderá ser uma possibilidade para queimar gorduras extra, e ao mesmo tempo fazer jejum e tratar do corpo (ler este post e este para perceberem).

 

A minha principal motivação ao fazer jejum, como já expliquei, não é queimar as tais gordurinhas extra, mas se o conseguir fazer melhor ainda. Como creio que também já referi aqui, os meus melhores treinos até hoje foram feitos em jejum, por vários motivos. Com a comida no estômago sinto-me pesada, sem tanta energia, cansada, com menos resistência e menos vontade de treinar. Mas isto sou eu, porque a maior parte das pessoas adora fazer os pré treino e essas coisas todas.

Também já estive nessa fase claro, mas depois de experimentar o jejum percebi que funcionava muito melhor assim. Rendia mais. Treinava mais. Sentia-me melhor. E o mais importante é isto.

 

Se treinam ao final do dia é quase impossível irem em jejum, a não ser que tenham passado o dia inteiro sem comer. Mas para quem treina de manhã há mais possibilidades de poder fazer esta experiência. No final do treino normalmente não como nada. A minha primeira refeição acaba por ser o almoço entre as 12:45h e as 14:30h. Não há hora certa mas ficam com uma ideia.

 

Os meus jejuns também não têm sempre a mesma duração, mas a grande maioria encontra-se entre as 14 e as 16 horas. E creio que é isto. Se tiverem mais questões ou sugestões acerca disto ou de outro tema qualquer, podem deixar abaixo, no facebook, instagram ou por e-mail, que eu tento responder aqui.