Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Qua | 18.07.18

Como poupar dinheiro quando viajamos?

7637B0DA-0786-4741-80F2-038CECA17239.JPG

 

 

É uma questão que muita gente me faz. A maioria das pessoas pensa que para viajar é preciso gastar sempre muito dinheiro, mas não é de todo verdade. Claro que existem países mais caros que outros, viagens mais caras que outras, mas há pequenos truques que podem ajudar a poupar umas boas centenas ou milhares de euros, dependendo do número do agregado familiar que pretende ir conhecer o Mundo.

 

 

20B57C8F-5F56-44B8-8738-194CF4E2F7A6.JPG

 

 

Para começar aconselho a leitura deste meu outro artigo onde falo sobre "Como conseguir bons preços nas viagens de avião". Este artigo poderá ajudar muito na escolha do local a viajar, da melhor altura para comprar o bilhete entre outras coisas. Só por aí já é possível reservar algum dinheiro. Agora que sabem tudo sobre as viagens de avião vamos passar para o alojamento.

 

 

C46229CB-6A6D-45B2-92CA-611F1E10B38B.JPG

 

 

No alojamento é possível poupar dezenas, centenas de euros. Para começar dou uma vista de olhos no Booking, onde reservo sempre as minhas estadias. Se clicarem no link anterior (a sublinhado) têm ainda desconto na próxima reserva, por isso aproveitem! 

 

Como dizia utilizo sempre o Booking, porque, depois de já ter feito comparações com outros sites, percebi que tinha de facto os melhores preços e também mais alternativas.

 

Outra coisa a referir sobre o site, tem promoções diariamente, e, dependendo do vosso destino, podem encontrar preços mais acessíveis ainda. Tanto para Barcelona como para Bruxelas aproveitei promoções de cerca de 40% de desconto no valor total, o que é imenso!

 

Quanto maior a antecedência da reserva mais barato fica e maior o leque de locais que encontram onde poderão pernoitar.

 

A0B2569E-A534-4418-A108-ADECE6B1EAA8 2.JPG

 

Mas as dicas não ficam de todo por aqui! Se optarem por quartos partilhados fica mais barato do que um quarto individual, se tivermos a comprar o preço no mesmo hotel/hostel ou na mesma zona da cidade.

 

E por falar nisso, normalmente um hostel fica mais barato que um hotel. Mas é só normalmente, porque tanto em Barcelona como em Bruxelas fiquei em hotéis, e de facto ficaram mais em conta do que ficaria um quarto num hostel, ou mesmo 2 camas em quartos partilhados. Quando são duas pessoas acaba por compensar quase sempre um quarto para ambos, em vez de beliches com mais 10 pessoas.

 

 

IMG_8844_Facetune_16-06-2018-10-24-51 2.JPG

 

Tudo isto varia, e não é assim para todos os países claro, apenas posso partilhar o que sei, tendo por base o que experienciei e pesquisei.

 

Por exemplo, quando fui para Copenhaga sozinha, um quarto individual ficava cerca de 120€ mais caro do que um quarto com mais 7 pessoas, que foi o que escolhi. Só aqui poupei logo este dinheiro sem qualquer dificuldade.

 

Se optarem por alugar um quarto de um residente da cidade pode também ser uma opção mais em conta.

 

A última sugestão passa por acampar. Nunca o fiz mas há quem o faça, e dependendo do local é uma excelente alternativa que fica super em conta. 

 

FF50A1DD-C0BC-404F-84FE-10A1AA6674DF.JPG

 

 

Mais um factor que devem ter em conta na hora de escolher onde ficar, a localização. Por norma, quanto mais perto do centro mais caro é o hostel/hotel. Se escolherem algo a 1, 2 ou 3 quilómetros percebem que o valor a pagar é quase sempre inferior a algo bem no meio de tudo. Mas há outra coisa a ter em conta, os transportes que depois têm ou não que apanhar para chegar até ao centro e depois até ao quarto. Nem sempre compensa ficar um bocadinho mais longe porque depois acaba-se por perder mais tempo e gastar mais dinheiro em passes ou em bilhetes individuais.

 

A661131C-CDCB-441D-93B9-8DB26A219ECE.JPG

 

Por falar em passes e bilhetes, compensa sempre mais comprar um passe diário ou de 48 horas do que bilhetes avulso, porque com 2 ou 3 bilhetes simples por vezes pagam um diário ou um de turista. Isto se forem andar de transportes públicos claro! Confesso que o que mais faço é comprar o bilhete de 24 horas no dia em que chego porque sei que vou andar mais vezes de autocarro e metro nesse primeiro dia, já que não conheço a cidade e quero chegar rapidamente ao hostel para deixar as coisas, depois ir almoçar ou jantar, e são logo duas viagens que utilizo.

 

Há ainda a possibilidade de alugar motas e bicicletas (mais umas que outras, dependendo da cidade), e aproveitar para explorar tudo sem gastar dinheiro em transportes públicos ou city tours.

 

Opto por fazer a cidade toda a pé quando não tenho os tais bilhetes, senão, dependendo do meu cansaço, utilizo o passe.

 

9E5C8699-D593-4E00-93C8-6800F3BFF651.JPG

 

Uma coisa que me faz poupar algum dinheiro é levar snacks para comer no avião/comboio/aeroporto. A comida nesses locais é sempre bem cara e só aí já se poupa um dinheirão. Se forem 2 ou 3 pessoas a comer então nem imaginam. 

 

D47A32CE-C182-4422-B3BF-3C7081D1A2A5.JPG

 

Desde panquecas, barrinhas, bolinhas energéticas, mousses, purés de fruta que levo sempre, assim como frutos secos, snacks salgados, até pratos para o jantar como massa com bifes de soja ou quinoa com legumes, tudo é uma óptima opção na hora em que a fome dá sinal e estamos no ar ou a deslocar-nos para o destino.

E podem levar esses mesmos snacks não apenas para as viagens mas também em quantidade suficiente para os lanches e ceias dos dias em que estão fora do país, que é sempre uma opção bem em conta.

 

 

6BD10B11-7F06-4D32-9423-D0B14EBE1ABE.JPG

  

Se quiserem realmente levar a poupança a sério evitem comprar comida ou fazer refeições em locais centrais da cidade ou muito famosos. São quase sempre mais caros do que os que estão mais deslocalizados da zona turística.

 

3B067A11-0820-447E-93E7-CABAC1BA5002.JPG

 

Beber álcool fica sempre mais caro do que beber água ou sumos naturais. Se o fizerem em hotéis ou discotecas muito conhecidas pior ainda.

Já que falo em álcool, se não fizerem vida nocturna poupam mesmo muito dinheiro! Se contabilizarmos entradas em discotecas e duas ou três bebidas ao longo da noite, que não é nada difícil, o gasto é imenso. Se multiplicarmos por um casal de namorados ou três irmãos a conta é ainda mais substancial.

 

9CCE6301-77CF-4139-BB7B-C11D625DA26F.JPG

 

Nas minhas viagens gosto muito de comer a comida que a cidade oferece. É de facto algo que me dá muuuuitooo prazer. Falo claro das opções veganas. No entanto poderão poupar bastante dinheiro ao utilizarem os supermercados para comprar alguns alimentos básicos que vos permitem fazer as refeições no quarto, mesmo sem cozinha. Falo de pão, leguminosas, frutos secos, sementes, fruta e algumas refeições pré-feitas que estão nos frigoríficos, tal como húmus, guacamole, alguns hambúrgueres,...

 

87A88187-413E-4E52-8095-DC6740E3ADE9.JPG

 

Se forem consumidores de museus e atracções turísticas podem e devem fazer uma pesquisa antes de embarcarem para terem uma ideia do que é gratuito, do que é a pagar e de qual a duração aconselhada da visita, para também controlarem o tempo que precisam e de organizarem a viagem.

 

Esta dica é básica, mas, se criarem um orçamento é mais fácil para terem noção dos gastos totais e do que têm para gastar. Estipulam um valor de X para a viagem, Y para a alimentação, Z para os transportes e assim sucessivamente. Eu por exemplo, normalmente, não gasto dinheiro em museus, mas gasto dinheiro em comida. Há quem opte por passar os museus a "pente fino", mas prefira comer sempre em casa. Tudo depende do gosto de cada um, do objectivo da viagem, e sobretudo da pessoa.

Estas pequenas alterações nos hábitos e organização da viagem ajudam muito a ter uma noção mais flexível

 

6B1A69C8-AF24-4187-A932-C86B0AAA25AA.JPG

 

Evitar utilizar o cartão de crédito ou multibanco faz t-o-d-a-a-d-i-f-e-r-e-n-ç-a. Quando utilizamos cartões ficamos sem noção do que já gastamos e do que ainda queremos ou podemos gastar. Se se tratar de um país com a mesma moeda que nós é fácil, caso contrário estabeleçam um orçamento para gastar na viagem.

Se se tratar de facto de um país com uma moeda diferente convém irem já com o dinheiro trocado por outro motivo. Fica mais barato em termos de pagamento de taxas, trocar no país em que residimos do que trocar na cidade de destino nas casas de câmbio.

 

2FA4AC0C-3180-47B4-96F0-B93E7454EDA5.JPG

 

 

Por fim, mas não menos importante, evitar ao máximo comprar coisas desnecessárias, tais como as lembranças que existem por toda a cidade, roupa, calçado, revistas, livros, ou outra coisa qualquer que não seja mesmo precisa.

 

Levo sempre um livro comigo mesmo para evitar tentações totalmente sem sentido. Podem fazer o mesmo com uma revista ou com outra coisa qualquer que gostem e que se não levaram vou ficar tentados a adquirir.

 

1B9FCC41-EF9D-4B84-9B95-76E3611850DF.JPG

 

Se tiverem atentos acabamos sempre por comprar algo que não nos vai servir de nada. Seja a caneca para oferecer à mãe, o abre latas com a bandeirinha para o pai, o porta-chaves para a amiga, as camisolas das cidades por onde passamos ou outra coisa qualquer. E quase sempre é dinheiro mal gasto.

 

22F21B02-0D61-42A8-B6FC-7016480D1BB0.JPG

 

Se precisarem mesmo de comprar alguma coisa optem por feiras, lojas em segunda mão, e tentem ao máximo negociar os preços. Em países menos desenvolvidos é muito fácil fazer isso, noutros nem tanto, de qualquer modo não custa tentar.

 

Estas são algumas dicas, sugestões, truques, chamem-lhe como quiserem, que podem fazer toda a diferença no final de uma viagem. Euro a euro (ou a moeda que for) fica a carteira mais vazia. E pensem numa coisa, a poupança numa viagem pode ser o orçamento da próxima.

 

Se também tiverem dicas para partilhar podem e devem fazê-lo abaixo na caixa de comentários, para todos beneficiarmos com isso.