Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Ter | 19.11.19

5 livros sobre o Holocausto

Há muitos livros acerca da história do Holocausto. Histórias verídicas contada por quem passou pela Guerra Fria, histórias criadas tendo por base o que aconteceu, histórias sobre a pessoa que estava à frente de tudo isto,... Há tanto e tanto para ler que seria impossível falar acerca de tudo, portanto seleccionei 5 livros que têm a ver com o Holocausto. Caso seja um tema de interesse vê abaixo os livros e respetivas sinopses.

 

 

Auschwitz, Um Dia de Cada Vez de Esther Mucznik 

 

502x.jpeg

 

«Um companheiro de Auschwitz pergunta a Primo Levi por que motivo já não se preocupa com a higiene. Ele responde simplesmente: "Para quê, se daqui a meia hora estarei de novo a trabalhar com sacos de carvão?" É desse companheiro que recebe a primeira e talvez principal lição de sobrevivência: "Lavarmo-nos é reagir, é não deixar que nos reduzam a animais; é lutar para viver, para poder contar, para testemunhar; é manter a última faculdade do ser humano: a faculdade de negar o nosso consentimento".»
A capacidade de sobrevivência do ser humano é notável e, por mais terrível que fosse a existência em Auschwitz, todos os dias se lutava para sobreviver apesar de a morte estar ao virar de cada esquina. O campo de concentração de Auschwitz é sinónimo do mal absoluto preconizado pelo nazismo. Foi ali que judeus e ciganos serviram de cobaias às diabólicas experiências médicas, que acima de um milhão de seres humanos foram gaseados e que mais de 200 mil homens, mulheres e crianças morreram de fome, frio e doença, de exaustão e brutalidade, ou simplesmente de solidão e desesperança. No entanto muitos presos resistiam à total desumanização esforçando-se por manter alguma dignidade. Cuidar da higiene, ler, escrever, desenhar, ajudar alguém a sobreviver ou até a morrer eram actos que atribuíam condição humana a quem parecia ter desistido de viver. Esther Mucznik, autora dos livros Grácia Nasi e Portugueses no Holocausto, dá-nos a conhecer o dia-a-dia de Auschwitz através das vozes daqueles que ali acabaram por perecer e dos seus carrascos, do insuportável silêncio das crianças massacradas, das mulheres e homens violentados em bárbaras experiências médicas, mas também através dos relatos daqueles que sobreviveram para contar e manter viva a memória do horror da máquina de morte nazi. Para que ninguém possa alguma vez esquecer.

 

 

A Queda do Muro de Berlim - O final da Guerra Fria e o apogeu de um novo mundo de Ricardo Martín de la Guardia

 

502x.jpeg

 

Novembro de 1989, o Mundo assistiu a um dos acontecimentos históricos mais importantes da era contemporânea: a Queda do Muro de Berlim. Um retrato rigoroso sobre estes eventos que marcaram para sempre o destino da Alemanha, da Europa e do Mundo, ao abrir um futuro incerto, mas esperançoso, o de um cenário radicalmente distinto da Guerra Fria, em que os atores teriam de reconsiderar os respetivos papéis.

 

 

As Crianças de Hitler de Ingrid Von Oelhafen e Tim Tate

 

502x-2.jpeg

 

As Crianças de Hitler Uma história verídica sobre o Programa Lebensborn Criado por Heinrich Himmler, o Programa Lebensborn raptou cerca de meio milhão de crianças por toda a Europa. Após um processo chamado Germanização, esta tornar-se-ia a próxima geração da raça ariana a dominar a segunda fase da Solução Final. No verão de 1942, pais por toda a Jugoslávia ocupada pelos nazis foram obrigados a submeter os seus filhos a exames médicos concebidos para avaliar a pureza racial. Uma dessas crianças, Erika Matko, tinha 9 meses de idade quando os médicos nazis a declararam apta para se tornar numa «Criança de Hitler». Levada para a Alemanha e entregue a pais de acolhimento aprovados politicamente, Erika foi rebatizada Ingrid von Oelhafen.

Muitos anos mais tarde, Ingrid começou a desvendar a verdade sobre a sua identidade. Apesar dos nazis terem destruído muitos dos registos de Lebensborn, Ingrid trouxe à luz documentos raros, incluindo testemunhos de um dos julgamentos de Nuremberga sobre o seu próprio rapto. Seguindo as provas até ao seu local de nascimento, Ingrid descobriu um segredo ainda mais chocante: uma mulher chamada Erika Matko, que em criança fora confiada à mãe de Ingrid em substituição da filha perdida. «As Crianças de Hitler» é um testemunho pessoal perturbador e uma investigação avassaladora sobre os crimes horríveis e o alcance monstruoso do Programa Lebensborn.

 

 

Clara - A Menina Que Sobreviveu ao Holocausto de Clara Kramer

 

502x-3.jpeg

 

Tínhamos os corações partidos. Era o fim. O fim do mundo. Estas palavras foram escritas por Clara Kramer quando tinha 15 anos, e nelas está contida a agonia de um povo.

No dia 21 de julho de 1942, os Nazis conquistam a cidade polaca de Zolkiew e dão início à deportação e massacre de milhares de judeus. Clara e a sua família conseguem esconder-se num bunker apressadamente escavado à mão. A viver por cima deles e a protegê-los está a família Beck. Embora se diga antissemita, o Sr. Beck arrisca diariamente a vida pelas pessoas que acolheu. É um dos rostos secretos da resistência à barbárie.

No bunker, as condições de vida são inumanas, os relatos da morte de familiares e amigos são diários, o terror é constante. Mas os laços de amor e solidariedade que se estabelecem entre todos dão conta da grandeza que faz pulsar o coração humano. Clara escreve para sobreviver, para testemunhar, para se impedir de esquecer que a vida é, acima de tudo, um milagre.

Dos cinco mil judeus que habitavam Zolkiew antes da guerra, sobreviveram menos de sessenta.

Uma história tão tocante quanto O Diário de Anne Frank e A Lista de Schindler. É assim que a imprensa internacional define este livro baseado na vida extraordinária de Clara Kramer. O seu diário está exposto no Museu Memorial do Holocausto, em Washington. O bunker ainda existe.

5 comentários

  • Olá Diana,
    Fico muito contente! Tanto pelo feedback como pela participação ativa aqui no blog.
    Beijinho grande
  • Sem imagem de perfil

    Diana 19.11.2019

    Não tens que agradecer!! Participação activa,eu???!!Tiveste um destaque,eu aproveitei para te vir visitar e gostei do que vi,nada a mais que isso!! Faço comentários apenas e quando posso,não sou assim tão activa quanto isso,ahah,,de qualquer maneira,obrigada,boa noite,muitos beijinhos!!
  • Agradeço imenso cada comentário! Fico mesmo contente!
    Um beijinho e boa noite!
  • Sem imagem de perfil

    Diana 19.11.2019

    Obrigada eu por teres um blogue tão bom,eheheh,
    Eu também ficaria contente se passasses também pelo meu cantinho!!
    Muito boa noite,muitos beijinhos,vou dormir,
    Pode ser que amanhã haja mais novidades,não tenho certezas ainda disso,tudo de bom para ti!!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.