Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Somos o que Comemos

Estive a rever o Documentário da SIC, Somos o que Comemospara vos dar um feeback/resumo da "coisa" e voltei a ficar chocada com os números.

 

 

"O limite máximo que uma criança deve consumir por dia de açúcar é o mínimo possível"

 

  

Nos últimos 50 anos o consumo de açúcar triplicou a nível Mundial. A OMS recomenda o consumo de 25g de açúcar por dia, para um adulto, o que equivale a 4 pacotes de açúcar.

Sabiam que 60g de cereais e 200ml de leite têm 30g de açúcar? O equivalente a 5 pacotes de açúcar. E que um iogurte líquido de 180ml mais umas bolachas de chocolate têm no total 30g de açúcar? O que também equivale a 5 pacotes de açúcar. As recomendações da OMS são claramente ultrapassadas no pequeno-almoço.

 

 

"Actualmente, mesmo sem saberem, os pais dão às crianças 20 pacotes de açúcar por dia"

 

 

Sei que nem toda a gente olha para os rótulos, que nem toda a gente liga a isso ou percebe minimamente do assunto. Este documentário dá umas "luzes" que podem ser essenciais na hora de ler um rótulo de uma embalagem de leite, bolachas ou arroz. A ordem que os ingredientes aparece não é à toa. Em primeiro lugar está sempre o ingrediente em maior quantidade no alimento, em segundo lugar o segundo maior e assim sucessivamente, até ao último, que está em menor quantidade.

Como já referi várias vezes, o açúcar está escondido atrás de vários termos, nomeadamente, glicose, maltose, dextrose, maltodextrina, frutose, xarope de milho,... Mas para quem não sabe estes termos tem sempre a hipótese de ver este açúcar discriminado na tabela nutricional abaixo dos hidratos de carbono, onde diz "dos quais açúcares", onde aparece tooodo o açúcar desse alimento.

 

iguaria-acucar-branco.jpg

 

 

A fibra contida nos alimentos onde o açúcar está naturalmente presente, como a fruta, diminui a absorção do açúcar. Já o mesmo não acontece com a sacarose, o açúcar presente nos refrigerantes, que é absorvido de imediato. 

 

 

"Entre os 7 e os 8 anos, o excesso de peso e a obesidade, afecta já quase metade das crianças portuguesas"

 

 

As doenças que antigamente eram dos nossos avós, como cirroses, fígado gordo, colesterol, diabetes, enfarte, AVC, irão ser as doenças que as crianças terão.

 

 

"O consumo de sal, como o de açúcar, começa pela manhã, nos cereais de pequeno-almoço"

 

 

O peso não é o elemento essencial. Ou seja, até podemos ter um peso abaixo da média ou normal mas não é por isso que podemos comer tudo e mais alguma coisa. Porque o peso não é tudo, e as doenças que podem vir por causa das asneiras que ingerimos são muito importantes e se puderem ser evitadas por causa do que metemos na boca porque não trabalhar isso? Trabalhar o nosso paladar, o nosso gosto, os nossos hábitos.

 

 

"Quase metade dos portugueses sofre de hipertensão (42%). Mais de metade tem excesso de peso (61%). 2 milhões de portugueses sofrem de obesidade. Mais de 4 milhões são pré-obesos."

 

 

A má alimentação, o excesso de peso e falta de actividade física são responsáveis por 8 em cada 10 mortes na Europa. Mas que números assustadores são estes!?? Como é possível isto ainda ser assim?? Isto é mais que o tabaco, o consumo de álcool e de drogas! O açúcar cria vício, cria adição, o que altera totalmente as hormonas.

 

 

"As crianças que consomem mais açúcar são as mesmas que consomem menos frutas e legumes."

 

 

Já pensaram nas cores dos alimentos? Então pensem.

Alimentos de cor verde clara, como maçã, abacate, feijão verde, uvas e kiwis são ricas em vitaminas A, C e E, vitaminas antioxidantes que combatem o envelhecimento das células e reduzem o risco de cancro.

Já alimentos de cor verde escura, como brócolos, couve, pimento, indica a presença de cálcio (sim, não está só no leite nem é o leite que tem a maior quantidade de cálcio, são os vegetais), que previne problemas musculares e doenças como a osteoporose.

 

alimentos-verdes-577x330.jpeg

 

 

Laranja e amarelo, como o milho, ananás, ameixa, pimento, cenoura, laranja, manga têm betacaroteno que previnem problemas de visão e reduzem o risco de doenças cardiovasculares. 

 

yellow-foods.jpg

 

Os citrinos (limão, lima, laranja) são ricos em vitamina C, reforçam as defesas do organismo e reduzem o risco de infecções.

 

alimentos-amarelos-e-alaranjados.jpg

 

Os vermelhos, como os morangos, maçãs, pimentos, romãs, framboesas, ameixas, tomate, são ricos em licopeno, importante na prevenção do cancro e das doenças cardiovasculares. Também contém vitaminas A e C e minerais como o potássio, que favorece a memória e aumenta as defesas do organismo.

 

 

vermelho.png

 

 

O branco, da banana, couve-flor, nabo, pêra, cogumelos, deve-se ao alto teor de polifenós, que ajudam a prevenir o risco de cancro e doenças cardiovasculares.

 

 

Prato_colorido_conhea_os_benefcios_dos_alimentos_brancos.jpg

 

O alho e a cebola contém também alicina, que ajuda a diminuir o colesterol e a pressão arterial.

 

O roxo, como a beterraba, uvas, beringela e couve roxa, contém bioflavenóides que combatem o risco de envelhecimento das células, reduzem o risco de cancro e doenças cardiovasculares e previnem problemas de visão e memória.

 

23939_233986073392736_625405867_n.jpg

 

Os alimentos têm ainda fases do ano. E se aparecem apenas por fases significa que nos vêm dar o que necessitamos na altura. Por exemplo, os Morangos "aparecem" entre Abril e Agosto ou as uvas que se encontram entre Julho e Agosto.

 

Todos estes pormenores fazem a diferença na hora de escolher os melhores alimentos e de tirar o máximo partido deles, por isso nem deixem de tomar a decisão da vossa vida, comer bem, fazer exercício. Esqueçam a obsessão pelo peso. Fiquem focados no que vos faz bem. Vão ver que no futuro vão agradecer terem escolhido a saúde.