Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

O teu cocó é bom??

Calma, não fujam já, que este post é totalmente inodoro! Já olharam para o vosso cocó hoje? Sabiam que o vosso cocó diz muito mais sobre nós do que pensamos e vale muito mais do que o valor (nenhum) que lhe damos? 

 

Este artigo vai mudar a vossa vida (espero eu que para melhor). Preparem-se porque a partir de hoje nunca mais ninguém vai poder ir à casa-de-banho sem olhar para o cocó. Vão aprender o que ele vos diz mesmo sem falar, sem enviar mensagens ou directs. Vão ficar a saber muito, muito mais.

 

Para começar, o cocó saudável deve afundar. Se o cocó estiver a boiar é sinal de excesso de gordura ou de gases. Se afundar é porque tem fibra e água, e portanto é mais saudável.

 

 

Encontrei uma imagem muito engraçada que vai ilustrar os 7 tipos de cocós mais comuns. Se tiverem algum diferente para partilhar sintam-se à vontadinha.

 

tabela fezes 2

 

Quando o cocó nos aparece às bolinhas pode ser um sintoma de diverticulite ou tumor. O tipo 1 pode querer dizer que há uma desregulação do trânsito intestinal grave. Este tipo é muito sólido e, por isso, pode causar dificuldade em evacuar.

O tipo 2 ésemelhante ao tipo 1, contudo é menos grave, sendo muito comum em pessoas que sofrem de síndrome do intestino irritado.

O tipo 3 Indica que o bolo fecal ainda está um pouco seco. A solução é o aumento da ingestão de líquidos e água.

As do tipo 4 são as melhores! Se o teu cocó é sempre assim, parabéns!

Já o tipo 5 são boas pois saem de forma fácil, mas também podem indicar que há carências ou desidratação. Aumentar a quantidade ingerida de fibras solúveis é uma solução.

No caso do tipo 6, este é muito difícil de limpar com papel, sendo indicador de trânsito intestinal rápido e/ou stress. Pode também ser sinal de intolerâncias alimentares.

Se é disforme pode indicar diarreia. No caso de ser fininha pode querer dizer que estamos a fazer muita força.

Estas últimas, do tipo 7, ocorrem em situações de má absorção, síndrome do intestino irritável ou stress, podendo também haver algum tipo de intolerância ao glúten ou à lactose. Pode, portanto, ser indicador de infecção.

 

Resumindo, os tipos 1 e 2 indicam obstipação, os tipos 3 e 4 são considerados ótimos e os tipos 5 a 7 estão associados à diarreia.

 

 

 

Depois há que ter em conta as cores:

  • "Cocó vermelho

Pode-se dever a alguma hemorragia anal, rectal ou cólica (causada, por exemplo, por hemorróidas, pólipos, tumores ou doença inflamatória intestinal).

  • Cocó preto

Os suplementos de ferro dão muitas vezes esta cor às fezes, sem que isso seja razão para preocupação. Mas quando as fezes se apresentam tipo alcatrão devido à presença de sangue digerido, isso pode deve-se à ocorrência de uma hemorragia com origem no estômago ou duodeno.

  • Cocó esbranquiçado

Indicam uma obstrução das vias biliares com diminuição de sais biliares nas fezes, uma situação que pode resultar, por exemplo, de um tumor da vesícula ou do pâncreas.

  • Cocó amarelo e gorduroso (já referido acima)

Revelam má absorção de gorduras"

 

 

E agora? Esclarecidos? A vossa relação com o cocó nunca mais vais ser a mesma!

1 comentário

Comentar post