Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Food Inc., e mais uma cruel realidade

"A indústria não quer que se saiba a verdade sobre o que está comendo, porque se soubesse, talvez não quisesse comer."

Food Inc.

 

O caso do McDonalds é o primeiro que "vem à baila". Já repararam que toooooodos os hambúrgueres desta cadeia (des)alimentar sabe ao mesmo? Já não como um hambúrguer de carne lá há quase dez anos, mas lembro-me perfeitamente do seu sabor, e comesse um ou dez hambúrgueres o sabor era o mesmo, a carne era sempre igual! Como é que isto é possível na América, que é tão grande? Como é que é possível um hambúrguer em Portugal saber exactamente ao mesmo de um em Espanha, França ou Nova Iorque? Como é que a carne pode seeeempre saber igual, tendo em conta que apenas é grelhada, sem molhos nem nada que lhe altere o sabor? Pois bem, já vos explico. 

 

 

"A comida tornou-se muito mais perigosa, de formas que estão a ser deliberadamente escondidas de nós"

 

 

A carne de vaca que os "reis do fast food" usam é alterada. Pois é. Afinal não é assim tão bom como se pensa. Ah e tal, é só pão com um bife grelhado no meio, uma rodela de tomate, uma fatia de alface e outra de queijo. Se calhar a carne é uma bela porcaria. Para que saibam há pior que isto. Quem não vai ao McDonalds mas consome carne de algumas embaladoras americanas, como a Tyson, Swift, Cargill e National Beef, que controlam mais de 80% do mercado Americano, está a ser enganado na mesma, com esta carne modificada. Ah e a carne de vaca não é a única com este "pequeno" problema. Com a carne de porco acontece o mesmo.

 

 

"Neste país comer bem fica mais caro do que comer mal"

 

 

A indústria alterou ainda a forma como as galinhas são produzidas. "Hoje em dia as aves são criadas e abatidas em metade do tempo que eram há 50 anos, mas agora têm o dobro do tamanho. As pessoas gostam de carnes brancas por isso desenharam as galinhas de forma a terem peitos grandes".

 

 

foodinc_promos_2.jpg

 

A produção de milho é outro assunto que é abordado neste documentário. Fazem ideia de quantos produtos contém milho? Vamos lá então: Ketchup, queijo, pilhas, manteiga de amendoim, molhos para saladas, coca cola, geleias, xaropes, sumos, fraldas, carne e fast food. O milho é um alimento que pode ser decomposto e devido ao amido do milho podemos criar maltodextrina, frutose/xarope de milho, goma de xantana, ácido ascórbico, frutose, sacarose, extrato de baunilha,... E ainda é possível alimentar os animais com ele. A produção do milho barato, abaixo do custo de produção, que alimenta carne e alguns peixes fez com que se pudessem baixar os preços desses alimentos.

 

 

"Queremos pagar o preço mais baixo pela nossa comida mas não entendemos que isso tem um custo"

 

 

O tema "E-Coli" que certamente toda a gente ouviu falar, uma bactéria que estava na carne, é tratado de forma um pouco chocante, com o depoimento de uma mãe cujo filho foi infectado pela bactéria após comer um hambúrguer.

O primeiro sintoma foi "sangue na diarreia", o que levou a mãe ao hospital com o filho. Na realidade o menino acabou por morrer. Tudo porque comeu um hambúrguer cuja carne estava infectada com a bactéria E-Coli.

 

 

Mudando agora um pouco de assunto como é possível um hambúrguer custar apenas 1 dólar, o mesmo que duas peças de fruta?? Considero isto um atentado à saúde pública. Sim porque é ridículo o preço do hambúrguer principalmente quando comparado com alimentos saudáveis e que acrescentam à nossa vida, ao contrário do fast food que nada tem de positivo. Estes últimos nem se deviam chamar alimentos, porque não alimentam, enchem a barriga, o que por um lado é igual mas se pensarmos bem não é exactamente o mesmo. Estes produtos deviam ser altamente taxados, inspeccionados e se possível retirados do mercado o mais rapidamente possível.

 

 

"Estamos dispostos a subsidiar o sistema alimentar para criar o misticismo de alimentos baratos, quando na realidade são alimentos muito dispendiosos. Quando se somam os custos ambientais, os custos sociais, os custos para a saúde, os alimentos industriais não são alimentos honestos"

 

 

Podia estar aqui até ao mês que vem a falar do documentário e de todas as barbaridades que são feitas aos animais em prol da suposta sobrevivência do ser humano, de que dos animais nada depende. Agora cabe a cada um tomar as suas próprias decisões. Mas antes de o fazerem vejam o documentário Food Inc. completo que deixo abaixo.

 

1 comentário

Comentar post