Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

Como "perder" a barriga?

Esta questão já me foi colocada tantas vezes que eu perdi a conta, por isso resolvi escrever um post que, mais uma vez, vos tentasse elucidar quanto a este assunto. 

Não há milagres, acho que todos sabem. É importante adoptar uma alimentação saudável, alimentação, não dieta! Porque as coisas com curto período de esforço não costumam resultar. E se é para fazer que se faça bem pelo menos, por isso a alimentação deve ser o mais saudável possível, com o menor número de excessos.

Esqueçam os cremes que emagrecem, tonificam e essas chachadas todas. Um creme não emagrece! O que faz emagrecer é o défice calórico que se cria quando consomem menos calorias do que as que precisam. Estou fartinha de ver miúdas da minha idade e até mais novas no ginásio a pôr cremes anti-celulíticos de supermercado no corpo. Não ponham que não vale a pena! Estar no ginásio e fazerem algo por vocês é que sim!

Outra coisa gira são os comprimidos para emagrecer. Se comprimidos emagrecessem acham que a percentagem de obesidade era a que é? Aliás acham que havia pessoas obesas? Não havia! Como é evidente! Não comprem essas coisas! Só vos faz mal à carteira.

Mas bem, vinha mesmo falar era da barriga. Depois de divagar um pouco eis que começo efectivamente a falar sobre o tema em questão. 

Para "perder" a barriga, ou as gorduras abdominais, que é isso que querem quando dizem a primeira expressão, é necessário fazer exercícios cardiovasculares que acelerem a perda de gordura e, assim, tirem aquela camadinha que têm na barriga.

Na minha opinião é a zona mais difícil do corpo para acabar com a camada adiposa e de tonificar. Nas mulheres então... É preciso muuuuuito cuidado com a alimentação, e mesmo assim...

Por vezes, por questões genéticas, a barriga acumula mais gorduras ou, pelo contrário, não tem gordura nenhuma, e no caso de haver gordura é mais difícil. E porquê? Porque se é genético é genético. Não é uma simples questão de "ah andei a comer mal estes 30 anos então agora faço uma dieta e fico bem". É bem mais complicado que isso, porque o organismo tem a informação que é para ter a gordura ali então toca a ficar ali a chata.

Em qualquer um dos casos a alimentação, como estou fartinha de referir é muito importante. Tem de ser o mais saudável possível. A hidratação, por vezes não tanto valorizada também é essencial. 1,5l a 2l de água ou chá era o ideal.

Adicionar frutas e legumes às refeições, comer mais devagar, não saltar refeições, mastigar bem os alimentos, comer sentado e pausadamente ajuda, não comer em frente à televisão (se o fizerem a tendência é para comer mais e mais), substituir o sal por ervas aromáticas e o azeite para temperar a salada por limão, e até preparar as refeições para levar para o local de trabalho ou faculdade. Todos estes pequenos pormenores são essenciais para manter um estilo de vida saudável com menores deslizes possíveis.

O exercício é fundamental, como também já referi e vai ajudar a queimar as gordurinhas. Fazer abdominais à maluca não vai fazer com que percam gordura. Os exercícios abdominais só tonificam, não queimam nada.

E o essencial é isto. Agora toca a comer bem, fazer exercício e descansar bem para que os resultados apareçam.

6 comentários

Comentar post