Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GO CAROL

BEM-ESTAR, FITNESS, COZINHA OVOLACTOVEGETARIANA E A MINHA VIDA NO GERAL (E ÀS VEZES NO PARTICULAR)

As vossas Histórias - Anorexia II

Hoje foi a vez da Sara contar a história dela. Mais uma vez um caso de anorexia. Conheçam então a Sara.

 

 

"Olá Carolina, antes de mais deixa-me dizer-te que é um prazer partilhar a minha história contigo, nunca o fiz com mais ninguém, a não ser a minha família e amigos mais próximos.

Então foi assim, tudo começou num dia de escola, lembro-me como se fosse hoje, era Sexta-feira, vinha de educação física e ao acabar a aula estava um rapaz ao portão que me elogiou o meu rabo (sim sempre fui e sou bem feitinha), mas para mim elogiar o meu rabo era sinónimo de que o meu rabo era grande e jeitoso (coisa que eu detestava).

 

A partir desse dia resolvi entrar numa dieta louca. Cortei os hidratos de carbono e gorduras. Comia apenas uma maçã e umas barras energéticas por dia.

Comecei por não comer nada ao pequeno-almoço, chegava ao almoço dizia no colégio que já tinha almoçado em casa e em casa que já tinha comido no colégio. Passava a tarde a beber água e uma fruta, ao jantar inventava sempre alguma maneira de não comer, desviar a comida ou comia só uma garfada ou duas de salada.

 

Mas nisto, e com estas maluqueiras todas, acabei por desmaiar. Tudo porque estava há mais de 4/5 meses sem comer quase nada. Nesse mesmo dia recebi a pior notícia de sempre, estava anoréctica. Fui internada de imediato. Nesses últimos meses tinha perdido cerca de 9kg.

Estive internada no hospital de Évora durante 8 dias, sempre acompanhada por vários psicólogos e psiquiatras, foram sempre as melhores pessoas para mim. Esta experiência é algo que nunca irei esquecer, pelo simples facto de ir a casa de banho e ter sempre a companhia de uma enfermeira para que eu não fizesse asneira.

Passados esses 8 dias vim para casa, apenas com 300g a mais (nada mau para quem estava a lutar contra o peso), vi com a obrigação de ir todas as semana a Santa Maria fazer consultas na ala psiquiátrica.

 

O meu último internamento aconteceu uns meses antes de o Verão começar, lembro-me como se fosse hoje. Cheguei ao hospital para uma consulta de rotina, quando a balança surge com um número que não podia ser verdade, 29kg, tinha vindo a perder nada mais nada menos que 22kg, para uma miúda de 1,50m, fui encaminhada de urgência para realizar exames e logo reservaram um quarta na ala da pediatria.

Recebidos os exames, chegava a noticia de que: ou continuava neste mundo ou acabava por morrer.

 

Este internamento foi para mim o mais difícil. Por um lado queria comer, mas por outro queria morrer, porque estava a comer e por consequente a engordar, só comia e dormia mais nada. Eram dias a fio assim, foram muitas consultas, muitos antidepressivos, muitas ajudas, muito choro, muitas lágrimas, muito esforço, muita vontade, e lá consegui ter alta já com um peso um pouco melhor, 35kg bem pesaditos.

Nos dias a seguir ao internamento toda a família estava em sofrimento, por mais que quisessem não conseguiam disfarçar. À hora das refeições era uma dor incalculável, por um lado a querer comer pouco como sempre e por outro, os meus pais e irmão a verificar sempre a minha comida e se eu não deitava nada fora ou embrulhava no guardanapo, um pesadelo.

 

Passado agora dois anos, sou uma miúda muito feliz, tenho um corpo que me agrada, que agrada aos rapazes. Sou híper mega saudável, faço exercício, saio mais com as minhas amigas,.. Não é nada fácil meninas, ainda hoje quando vejo muita comida ou tento comer algo mais "pesado", lá vem aquele bichinho na cabeça a dizer-me “ouve lá oh miúda queres ser obesa”?  só para verem que em dois anos ainda não estou totalmente curada, e por estudos médicos  esta doença nunca será totalmente curável, vai-nos acompanhar sempre, mas nunca desistam de vocês, nunca deixem que um piropo ou uma crítica mude a vossa vida. A minha mudou durante 2 anos..."

 

 

Recordem-se que é sempre importante ter acompanhamento de psicólogos, médicos e nutricionistas. Deixo-vos a sugestão de uma psicóloga, Psicóloga Clínica Cláudia Esteves, que me contactou e revolveu dar-vos um desconto de 10% caso entrem em contacto com ela e digam que leram este post. Este desconto é apenas válido nos acompanhamentos online (em consultório, envolve terceiros e não tem possibilidade de fazer essas campanhas), não existindo limite de utilização. O valor da consulta depende se o paciente compra sessão isolada ou pack, e depende também da periodicidade das sessões.